sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Coluna - ícones do Jornalismo

Seja na vida particular ou profissional sempre existe áquela pessoa que admirados,seguimos como modelos.E nos diferentes veículos de comunicação observa-se profissionais de jornalismo que ao longo de suas carreiras conseguem superar as dificuldades como Gil Gomes,que fez da gagueira um incentivo para se tornar um bom profissional.Outros por amor ao trabalho arriscam suas vidas como o porta voz da realidade nas favelas Tim Lopes.
Há ainda áqueles que mesmo doentes contínuam a colaborar para que o jornalismo continue seu papel de informar,apurar e denúnciar os fatos mais importantes da sociedade como foi o caso de Chateaubriand e ainda houve o jovem rapaz que levou em frente os negócios da família chegando a montar um verdadeiro império como Roberto Marinho.
É verdade que existem muito outros mas estes quatro é certo:Sempre serão lembrados como vitoriosos.Passam a ser exemplos a ser vivenciados na mémoria das pessoas e se possível seguidos. Assim o textual conta um pouco de suas histórias certo de que amanhã ou depois um de nós possamos ser tão bons como eles foram e são até hoje.
Tim Lopes trazia para o asfalto a realidade da favela.

Foto:Arquivo Globo News.

Arcanjo antoniano do nascimento era o verdadeiro nome de Tim Lopes.Um produtor e réporter da rede Globo,vencedor de prêmios como Esso por repórtagens onde denúnciava a violência e tráfico de drogas nos morros cariocas e a sua última réportagem seria a vida perigosa dos caminhoneiros mas infelizmente não pode realizar devido sua morte cruel por traficantes do Rio de janeiro que via em Tim Lopes uma ameaça aos seus negócios. Tim lopes morreu numa verdadeira bárbarie mas não foi em vão,é exemplo de verdadeira coragem no exercício de sua profissão. E na mesma empresa que Tim Lopes trabalhou,temos Roberto Marinho,o proprietário desta organização tão importante na história da comunicação:Roberto Marinho

Roberto marinho empreendedor e jornalísta de sucesso.

Foto:Arquivo pessoal/agência O Globo.

Roberto Pisani Marinho nasceu no Rio de Janeiro no dia 3 de Dezembro de 1904 e sua morte aconteceu em agosto de 2003. Ainda jovem herdou de seu paí Irineu Marinho a missão de levar em frente seus negócios e fez com muito talento e empreendorismo já que em 1925 ampliou o jornal o Globo,fundando uma cadeia de rádios somente de notícias como até hoje é a CBN.Em 1965 fundou a emissora Rede Globo e hoje possuí um número de empresas conhecida por organizações Globo,uma das mais poderosas em todo o país e realizou um bem social a fundaçao Roberto Marinho.
Assim como Roberto Marinho,Chateaubriand também começou cedo na comunicação e por mais que não tívesse herança famíliar com Marinho,soube se sobressair das dificuldades financeiras,conseguindo montar um grupo que sobrevive até hoje incluíndo empresas em Brasília.

Chateaubriand- O precursor das organizações Diários Assosciados

Foto:Imagem Download por memória viva.www.memoria viva.com.br/histórico htm chateaubrind

Assis Chateaubriand,nsceu na Paraíba no dia 4 de Outubro de 1892,faleceu em São Paulo no dia 4 de outubro de 1968.
Em 1917 no Rio de Janeiro,colaborou com o Correio da manhã,escrevendo o que pensava de suas viagens à Europa. Em 1924 assumiu o jornal Órgão Líder dos Diários Associados e no mesmo ano consegue comprá-lo com ajuda de barões de café como Carlos Leôncio e Percival Farquinha. Chateaubriand teve ao longo de sua vida relação cordiais e sempre movidas a interesses econômicos.
Foi senador pelos estados da Paraíba e Maranhão. Trabalhou até o final de sua vida mesmo depois de uma trombose em 1960 que o deixou paralisado.OsDiários associados passou para um grupo de 22 funcionários dentre eles Paulo Araújo cabral um dos condonímos deste patrímonio. Aqui em Brasília temo três empresas ligadas ao grupo e são Correio Braziliense e as rádios 105fm e planalto am.
Rádio aliás foi o ambiente onde um grande jornalísta investigativo deu início a sua carreira. Estamos falando de Gil Gomse.

Gesto típico nas horas de suas repórtagens.

Foto:Arquivo pessoal,autorizado pelo fotógrafo amador ao site wikipédia em novembro de 2006.(Olimos)

Gil Gomesnasceu em São Paulo,no dia 13 junho de 1940.É Jornalista,repórter policial do rádio e televisão brasileira. Marcou seu estilo pessoal na voz,gestos e maneiras de vestir.
Gil Gomes nasceu em uma família pobre e na infância vendia balas. Sofria de gagueira e imitava os locutores esportivos para superar tal problema.
Aos 18 anos teve seu primeiro emprego como locutor de rádio,chefiou o departamento de jornalismo da rádio Marconi em São Paulo no no de 1960).
Já em 1968 nascia o réporter policial ao cobrir ao vivo um caso de agressão sexual no edifício onde trabalhava.
Trabalhou em 1991 foi para o jornal Aqui Agora do Sistema Brasileiro de Televisão(SBT),atualmente apresenta na tv Tupi de São Paulo programas com índices de audiência que chega aos 16 pontos no Ibope,significando sucesso.

Por:www.google.com.br,http://pt.wikipedia.org/wiki/Categoria:Jornalistas_do_Brasil


Florisbela Magalhães Arruda
7 semestre noturno

3 comentários:

Florisbela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Soll disse...

Oi Flor,

Vamos lá:

O seu texto está sem coesão, o que deixa as frases muitos soltas.

Além disso, são trechos idênticos às suas fontes pesquisadas. Sugiro que você monte os textos com suas palavras, pesquise mais de uma fonte (e não faça apenas um "resumo"), e dê um "charme" às mini-biografias.

Por outro lado, não acho que a Rachel de Queiroz seja um ícone do jornalismo, mas sim da literatura.
O texto sobre ela está mais para "curiosidades".

Lembre-se que ícones são os "modelos", são pessoas que deixaram uma marca na profissão, seja por inovar ou por notório reconhecimento...

Revise, também, o português, espaçamentos, etc.

Refaça os textos a partir das dicas acima, certo?

Aguardo a republicação.

Abraços,

Solange

p.s. Além do Gil Gomes, Tim Lopes, Marinho e Chateaubriand, que tal o Paulo Francis, Élio Gaspari, Cora Rónai, Marilia Gabriela, Gloria Maria. Ou quem sabe você pode pegar um por década, conforme a importância no jornalismo brasileiro. Pense em um "gancho" para você trazes os ícones...

Anônimo disse...

oi Flor, precisa de citar a autoria de cada foto, pois não podemos publicar fotos sem crédito, certo? abraços, Solange