sexta-feira, 20 de março de 2009

Como fazer uma pauta...

A pauta é um dos itens principais do jornalismo. É a partir dela que o jornalista/repórter irá a campo buscar informações, apurar e iniciar a construção da reportagem. A pauta é a orientação do repórter e, por isso, deve ser muito bem feita.

A professora Joanita Mota Ataíde, da Universidade Federal do Maranhão, fez um resumo de definições sobre “pauta jornalística”:
1- Segundo Clóvis Rossi
DEFINIÇÃO: Instrumento de orientação para os repórteres e de informação para as chefias.
DISTORÇÕES:
1ª) Por ser elaborada principalmente em função do que os próprios jornais publicam, o que gera um círculo vicioso, pelo qual os jornais se alimentam;
2ª) No geral, reflete refletem a idealização das pessoas que permanecem nas redações e não daquelas que estão em contato direto com os fatos ou das pessoas geradoras das notícias;
3ª) É elaborada hoje, nos grandes jornais, por um pequeno grupo de profissionais.
4ª) Condiciona o repórter a obedecer aos quesitos previstos ou pedidos pelo pauteiro. - Pode ser contornada tal situação?
FORMA E CONTEÚDO: extensa, minuciosa, quase uma receita completa de como cada repórter deve fazer sua reportagem (indicações do que o repórter deve fazer, as pessoas que deve ouvir, que perguntas fazer).

2- Segundo Luiz Amaral
DEFINIÇÃO: ‘’...uma previsão dos acontecimentos que se desenrolarão no dia seguinte.’’

3- Segundo José Marques de Melo
DEFINIÇÃO: ‘’... roteiro destinado à pré-seleção das informações a serem publicadas.’’
CONTEÚDO: elenco de temas ou assuntos
indicação de ângulos através dos quais os acontecimentos devem ser observados e relatados.

4- Segundo Luciano de Moraes
CONTEÚDO: Ligeiro resumo do que constitui o objeto da matéria; roteiro das questões básicas; o enfoque pretendido sobre determinado assunto; dicas sobre aspectos desconhecidos ou interessantes do tema; questionamento dos pontos que são o objeto da reportagem.
LINGUAGEM: Crítica, irônica, instigante, brincalhona, dura na colocação dos pontos a serem questionados.
OBJETIVO: (um dos principais): Vender a matéria, estimular o repórter e/ou a chefia, espicaçando o espírito crítico de quem vai fazer a reportagem.

Já o site Focas na área traz um texto interessante sobre pauta e no final traça um “roteiro” dos itens fundamentais de uma pauta.

A pauta tem por objetivo oferecer o maior número de informações para o repórter que irá fazer a matéria. Como todos sabem, o repórter muitas vezes chega na redação para pegar as pautas e precisa sair correndo para produzir várias matérias. Assim, tendo em mãos uma pauta bem elaborada não terá dificuldades de produzir uma boa matéria.

A Pauta se constitui num dos grandes problemas para os estudantes de Jornalismo, às vezes até para profissionais tarimbados. Imagina-se que, pelo que posso observar no mercado, fazer uma Pauta nada mais é do que "CHUPAR" notícia de Jornal. Outros veículos como as televisões, as revistas e mais recentemente a internet, com todas as suas falhas, também entram na "CHUPANÇA". E isso não é verdade.

A CRIATIVIDADE do Repórter acaba sendo jogada no lixo por preguiça, falta de orientação ou má-fé, no duro. Saiba você que os outros veículos servem para uma reflexão do Repórter sobre tudo aquilo que está acontecendo no planeta - nada mais.

A Pauta tem que ter as características do veículo: texto claro, objetivo, curto, direto, conciso e sem informações óbvias. O profissional responsável pela Pauta precisa pensar numa abordagem diferente de um assunto que pode mudar o dia do cidadão.


Uma boa pauta deve ter, no mínimo:

1 - Um resumo dos acontecimentos (idéias) que são objeto da Reportagem.
2 - O que o Repórter terá que conseguir, ou seja, o que interessa ao Ouvinte.
3 - Como a emissora vai se posicionar em relação ao assunto.
4 - Fornecer todos os dados necessários para o Repórter: nome, cargo ou função das pessoas que serão entrevistadas, telefones, hora da entrevista, local, e-mail- sempre fornecer mais de uma fonte.

Lembre-se de uma coisa, a Pauta é o ponto de partida de uma boa Reportagem, nunca o meio ou o fim. Tudo o que foi planejado previamente na Pauta pode ser "derrubado" pelo Repórter caso outros fatos mais importantes estejam acontecendo.

Vale ressaltar que nem sempre uma Pauta de Jornal, revista ou Tv pode ser adaptada sem prejuízos ao Rádio. Procure elaborar o material de acordo com as características do veículo - pense na prestação de serviços, na sessão da Câmara, na visita do Presidente.

Por último: uma boa Pauta deve ter no máximo dez linhas, de preferência com texto manchetado, para facilitar a vida do Repórter.

A sugestão de Pauta apresentada aqui não serve para programas jornalísticos (produção), apenas para Reportagem.

Atenção: como o Pauteiro já se tornou uma peça rara nas Redações, o Repórter é o próprio Pauteiro.

As pautas devem conter os seguintes itens:

1) Cabeçalho: Onde devem estar contidos o nome do redator, a data em que foi elaborada a pauta, a retranca (duas palavras que indiquem o tema da pauta) e a fonte (de onde foram tiradas as informações para a pauta).

2) Tema: Sobre o que se trata a pauta.

3) Histórico/Sinopse: Você deverá escrever em poucas linhas (média de 15 linhas) em linguagem radiofônica um resumo dos fatos que levaram esse tema a se justificar como assunto de uma pauta jornalística. Esse material é muito importante para situar o repórter e porque poderá ser utilizado por ele para o lide e/ou cabeça da matéria. Para reportagens especiais pode-se inserir mais informação.

4) Enfoque/Encaminhamento: Qual será o direcionamento a ser dado na matéria, ou seja, com base no histórico exatamente o que o pauteiro quer que seja desenvolvido pelo repórter. Indique para o repórter. Este item é que irá definir as suas sugestões de perguntas.

5) Fontes: Para se obter as informações sobre o tema da matéria é fundamental que o pauteiro apresente as fontes para a reportagem, ou seja, as pessoas que serão entrevistadas pelo repórter. Nesse caso, além do nome e do cargo/função da pessoa, deve constar na pauta o endereço e todos os telefones possíveis para contato.

6) Sugestões de perguntas: Como o nome já dia são sugestões a serem seguidas pelo repórter. Mas lembre-se uma pauta não é uma camisa de força. O repórter tem toda liberdade de questionar o entrevistado sobre outras questões que considerar importante naquele momento.

7) Anexos: Caso o pauteiro tenha feito alguma pesquisa ou possua recorte de jornal/revista ou texto retirado da internet poderá anexar na pauta.

A wikipédia ressalta que apesar de ser detalhada e repleta de orientações editoriais, a pauta não é rígida: o repórter pode modificar abordagens, sugerir outros entrevistados e até mudar completamente a natureza da reportagem que irá produzir levando em conta os acontecimentos factuais que presenciar depois de sair da redação em busca da notícia.

Formação da pauta
Dependendo do veículo de informação, a pauta pode ser elaborada de forma diferente, mas, em sua essência, constitui de cinco pontos. Uma pauta geralmente é montada seguindo os seguintes tópicos:

Histórico
O histórico é o que situa o repórter no cenário da reportagem a ser desenvolvida. Antes de abordar o assunto, esta parte da pauta trata do que o assunto é e o que foi. Se a pauta tratar de algum evento em uma determinada guerra, o histórico informa o repórter da guerra em si, de suas causas, como começou e quando, até o presente próximo. Esta informação pode ser ao repórter dada no início para orientá-lo na apuração mas, no texto, em geral vem no fim ou em separado (num "box", se for em mídia impressa, ou "pé" da matéria, se for rádio ou TV).

Matéria
Nesta seção, o encarregado de confeccionar a PAUTA fala exatamente do que o repórter irá tratar. Se a pauta tratar de algum acontecimento em uma guerra, a matéria é o acontecimento. Uma explosão, um ataque, um atentado.

Abordagem
É o que marca a individualidade da matéria. Dois jornais podem falar sobre o mesmo assunto, só que sob abordagens diferentes. Ainda no exemplo do acontecimento numa guerra, o repórter pode abordar uma explosão como um feito de represália dos povos ocupados. Já outro jornal pode abordar o fato como um acidente.

Fontes
Nesta seção são sugeridas pessoas com quem o repórter poderá falar para enriquecer sua reportagem. Vão desde fontes oficiais, como prefeitos e vereadores, até fontes independentes, como advogados ou executivos, até povo-fala, onde populares são indicados à dar sua opinião sobre o assunto. É conveniente que se coloque telefones, emails e outros meios de contato com as fontes, para que informações possam ser checadas mais tarde, durante a edição da matéria jornalística.

Imagens
Se tratar-se de uma pauta de telejornal, nesta seção o cinegrafista tem orientações do que mostrar e sob qual ângulo. Se tratar-se de uma pauta de jornal impresso, esta seção informa o fotógrafo sobre o que fotografar e como.

Pauteiro
No jornalismo, chama-se de pauteiro o profissional que, dentro de uma redação, tem a função de decidir o que será noticiado. Cabe a ele elaborar a pauta do dia, isto é, os assuntos que os repórteres deverão sair para apurar (investigar). O pauteiro geralmente à redação chega mais cedo que os demais colegas (às vezes de madrugada) e seleciona, desenvolve e planeja as coberturas que serão atribuídas a cada repórter ou redator.

Comumente, um pauteiro recebe telefonemas, e-mails e cartas do público dando sugestões de pauta.

_______________

Quanto à pauta para o jornalismo on-line, encontramos o seguinte texto:

A pauta deve contemplar as especificidades da comunicação na Internet sem deixar de lado as exigências da pauta jornalística tradicional.
Toda pauta é um planejamento da produção da matéria. No caso da notícia para a internet, é preciso prever como será a utilização dos aspectos característicos desta tecnologia, tais como a construção hipertextual do conteúdo, os recursos multimídia utilizados e as oportunidades de interação oferecidas ao público.
Desta forma, a jornalista Luciana Moherdaui, no livro “Guia de Estilo Web” propõe um modelo de pauta capaz de planejar também a produção e publicação deste elementos.Sengundo a autora a pauta tradicional seria composta por:

1. Tema e questão central – a proposta da pauta;

2. Encaminhamento;

3. Roteiro de perguntas a serem respondidas;

4. Itens relevantes a serem abordados;

5. Perfis ou pontos de vista contemplados;

6. Histórico e informações adicionais;

7. Elenco de fontes a serem utilizadas;

Note que os itens de 3 a 6 podem servir para prever como ficará a estrutura hipertextual da matéria, visto que cada elemento pode ser publicado em um bloco de informações em separado.
Mas a pauta para a internet exige outro tipo de definições, por exemplo aquelas relativas à produção e disponibilização de informação multimídia:

8. Que recursos multimídia serão utilizados? Os arquivos em audio captados pelo jornalista ficaram disponíveis juntamente ou não com uma transcrição, ou uma lista de destaques da entrevista. E as fotos, e vídeos…

9. Serão criados mapas interativos ou infografias em geral? Neste caso trata-se de um processo mais complicado e que foge à autonomia do jornalista, é necessário mobilizar profissionais e recursos caros, enfim um esforço de produção muito maior.

Outro aspecto que não pode faltar é a construção hipertextual:

10. Chamada de capa + links internos e externos.

11. Notícias relacionadas e anteriores.

Pode causar surpresa que a chamada apareça tão cedo e sem a interferência do editor, mas a proposta se justifica quando se considera a importância de estruturar o conteúdo em hipertexto, do qual a chamada é o elemento de entrada. Por esta razão pensar a estrutura implica pelo menos uma proposta para este primeiro elemento.

Por fim não poderia faltar:

12. Interação com o público; será disponibilizada enquete, link para bate-papos, foruns de pergunstas…

Em resumo, a pauta para o meio digital corresponde a uma adaptação da pauta tradicional às especificidades da hipermedia.

Veja um quadro resumo:

1. Tema e questão central ou proposta da pauta;

2. Encaminhamento;

3. Roteiro de perguntas a serem respondidas;

4. Itens relevantes a serem abordados;

5. Perfis ou pontos de vista contemplados;

6. Histórico e informações adicionais;

7. Elenco de fontes a serem utilizadas;

8. Que recursos multimídia serão utilizados? Os arquivos em audio captados pelo jornalista ficaram disponíveis juntamente ou não com uma transcrição, ou uma lista de destaques da entrevista. E as fotos, e vídeos…

9. Serão criados mapas interativos ou infografias em geral? Neste caso trata-se de um processo mais complicado e que foge à autonomia do jornalista, é necessário mobilizar profissionais e recursos caros, enfim um esforço de produção muito maior;

10. Chamada de capa + links internos e externos;

11. Notícias relacionadas e anteriores.

12. Interação com o público; será disponibilizada enquete, link para bate-papos, foruns de pergunstas…


Com base no livro: MOHERDAUI, Luciana . Guia de Estilo Web - Produção e Edição de Notícias On-Line. 3. ed. São Paulo: Senac, 2007.

6 comentários:

Anônimo disse...

gostei dessas dicas de pauta
sou estudante de jornalismo e estou no segundo periodo.

Tawiny disse...

Sou estudante de Rádio e Tv e essas dicas foram muito valiosas. Obrigada, parabéns e sucesso.

simone disse...

TENHO UM TESTE AMANHA E ESTE ASSUNTO SALVOU MINHA VIDA!!! HEHEH

OBRIGADO

SIMONE LEITE

Juliana Fontanella disse...

Excelente trabalho, especialmente ao citar as fontes que você usou! Parabéns!

A escritora sonhadora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A escritora sonhadora disse...

Eu sou estudante de Jornalismo, tô no primeiro período e vou, com mais alguns colegas, fazer uma noticia como um primeiro "trabalho". E todo mundo tava procurando como fazer uma pauta, achei o post de grande ajuda, estava um pouco confusa em como faríamos, mas já tenho uma ideia. Parabéns pelo blog, que é incrível!

Beijoos!